Notícias

Cientistas criam capa para smartphone que mede pressão arterial do usuário

A hipertensão é um problema gravíssimo no mundo e que pode levar a doenças do coração e ao infarto. No entanto, uma capinha de celular promete facilitar a detecção deste mal a tempo de um tratamento eficaz. Desenvolvida por pesquisadores de diferentes universidades dos Estados Unidos, o dispositivo pode medir a pressão arterial a partir do dedo do usuário e demanda pouco conhecimento técnico para isso.O funcionamento do aparelho é bem simples: assim que o usuário coloca o dedo sobre um sensor de pressão, gráficos na tela do celular orientam a pessoa a aumentar a força aplicada gradualmente. Enquanto isso, um outro sensor mede o volume de sangue ao detectar mudanças na forma como a luz emitida é absorvida. Por fim, um aplicativo no smartphone usa essa informação para determinar a pressão sanguínea.De acordo com a publicação da revista Science Magazine, a grande vantagem da nova técnica é a sua simplicidade de uso. Os pesquisadores testaram o protótipo em 30 pessoas e 90% delas descobriram rapidamente como usar a ferramenta. Isso tende a ser fundamental para o aumento de diagnósticos, uma vez que estudos apontam que 55% dos hipertensos em países em desenvolvimento como o Brasil não sabem que possuem a doença.

Uma das dificuldades para o diagnóstico é que as técnicas convencionais demandam equipamentos muitas vezes caros e que exigem conhecimento técnico. Normalmente, a medição tradicional consiste de uma braçadeira que se infla para pressionar a artéria do braço, enquanto um dispositivo mede os efeitos da força no fluxo sanguíneo. Já os smartphones tornariam possível uma medição mais fácil em casa, incluindo repetições para evitar influencias como atividades físicas e estresse no diagnósitco.

[Reprodução] Para a continuidade dos estudos, os cientistas ainda planejam trabalhar na precisão dos resultados. Embora o dispositivo tenha resultados comparáveis a um medidor para dedos, ainda é preciso desenvolvimento para que este se iguale às tradicionais braçadeiras. A equipe também planeja aumentar o número de pacientes testados e adicionar um sistema de alertas para quando a hipertensão for detectada.

Por fim, há ainda a possibilidade de se desenvolver a tecnologia a ponto de se eliminar a capa. Como os smartphones atuais já possuem todos os componentes necessários para os testes, seria possível fazer medições ao colocar um fino filme com um sensor de força sobre as câmeras dos celulares. Ou seja, a tendência é que os diagnósticos fiquem ainda mais acessíveis.

Fonte: Olhardigital