Notícias

Como mesas do futuro vão carregar a bateria de gadgets usando o calor do seu café

 

Seu computador, seu console de jogos, até mesmo sua xícara de café: todos esses objetos em sua casa irradiam calor que poderia ser transformado em eletricidade utilizável. Por anos, essa ideia foi apenas um sonho. Uma tecnologia termoelétrica está trazendo isso mais próximo da realidade.
Sergey Komardenkov e Vihanga Gore, estudantes de design no Instituto de Interação de Copenhague, propuseram a ideia de incorporar esta tecnologia em móveis da conhecida fabricante Ikea. O conceito se chama Heat Harvest (colheita de calor) e foi desenvolvido no laboratório de pesquisa Space10, que a Ikea abriu este ano em Copenhague. A dupla afirma que um laptop comum consome cerca de 40 watts de eletricidade e emite a mesma quantidade de calor enquanto funciona. Uma mesa Heat Harvest iria usar uma almofada embutida para absorver esse calor latente e passá-lo por um pequeno gerador termoelétrico. Em seguida, essa eletricidade resultante iria de volta para a superfície da mesa através de um dock de carregamento sem fio. Você poderia colocar seu café na mesa e carregar o celular a partir do calor absorvido. Este ano, a Ikea começou a vender kits para converter seus móveis em estações de carregamento sem fio. Ela também lançou móveis que já vêm com esses carregadores embutidos. No entanto, misturar móveis e termodinâmica seria muito mais complicado. De novo: este ainda é um conceito. "Esta é uma ideia conhecida há 200 anos", diz Komardenkov, "mas recentes desenvolvimentos em nanotecnologia a tornam uma opção mais eficiente para coletar a energia do calor".
Ele está se referindo a um problema antigo da termoeletrônica: ela exige um material que seja ao mesmo tempo um ótimo condutor de eletricidade e um mau condutor de calor. Isso é necessário porque o processo de conversão usa as diferenças de calor em um determinado condutor para gerar tensão, como explica o GIF abaixo da Alphabet Energy.
Até recentemente, este tipo de material era extremamente caro e raro. Mas empresas start-up de energia, como a Alphabet Energy e a Tellurex, estão desenvolvendo versões de baixo custo que usam nanotecnologia para fazer com que qualquer semicondutor fique pior em conduzir calor. Dessa forma, é possível usá-los como geradores termoelétricos. Obviamente, esta tecnologia ainda está em seu início, mas essas empresas vêm mostrando que estão chegando mais perto de tornar esse sonho uma realidade. Pode demorar até que você veja esta tecnologia nas lojas, mas Komardenkov e Gore querem demonstrar - com apoio da Ikea - como ela poderia ser miniaturizada para caber na vida diária dos usuários. 

Fonte: msn