Notícias

Firefox começa a utilizar oficialmente seu novo logo.

A raposa ainda está lá, estilizada e em um belo degradê de cores vibrantes, no centro da novo logo da Mozilla para seu navegador. A novidade vem junto com o sumiço do “Quantum”, presente desde o lançamento do Firefox 57, em novembro de 2017, e por enquanto está disponível apenas na versão Nightly (de testes) do navegador.

A nova cara da Mozilla é, na verdade, a identidade visual de toda uma coleção de ferramentas que terão o nome do Firefox – não apenas o navegador, como também o Send (transferência de arquivos), o Lockwise (armazenamento e sincronia de senhas) e o Monitor (verificação de senhas para prevenir violação de dados). A empresa explicou, em seu blog, que “isso é apenas o começo da nova família Firefox". Ela foi anunciada em junho de 2019.

Entre os recursos, o navegador é ainda o mais popular, com cerca de 300 milhões de usuários mensais. Porém, a reformulação gráfica é um esforço para enfatizar a navegação privada, que contrasta com as prioridades de rastreamento de usuários do Facebook e do Google (e seu Chrome, um rival a ser batido). O momento é, pela visão da Mozilla, propício para conseguir mais usuários.

"A privacidade está presente em todas as experiências da marca. Com cada lançamento, nossos produtos continuarão adicionando recursos que protegerão e alertarão você sobre os riscos", escreveu a empresa em seu blog. "As empresas Big Tech dizem oferecer privacidade, mas ainda usam você e seus dados. Aqui, você sabe quem é e onde está."

Em junho, o Firefox começou a bloquear tentativas de rastrear comportamentos de navegação na web, embora a mudança afete apenas novos usuários (o recurso será ativado para quem já usa o navegador nos próximos meses). A iniciativa segue o que fizeram os navegadores Safari e Brave (a Microsoft está criando uma ferramenta semelhante para o Edge).

Fonte: tecmundo