Notícias

Novo carregador da Tesla promete 120 km de rodagem com 5 minutos de carga.

A Tesla anunciou a versão 3 dos Superchargers, que são as estações de carregamento das baterias de seus veículos. De acordo com a companhia, o Supercharger V3 possui uma arquitetura nova, capaz de reduzir o tempo de carga da bateria pela metade. É um avanço bem considerável em relação à versão anterior, o que foi possível a partir de aprimoramentos e correções sobre o V2.

Enquanto o Supercharger V2 tem potência máxima de carga de 150 kW (com limitação a até 120 kW), o V3 possui potência máxima de 250 kW, o que, em teoria, pode permitir que o carro percorra uma distância de 120 quilômetros com apenas 5 minutos carga, ou 1600 quilômetros com uma hora de carga. Isso significa 25 por cento menos tempo, se comparado ao V2.

A outra tecnologia que vai ajudar a diminuir o tempo de carga em mais 25 por cento é chamada de “On-Route Battery Warmup”. Quando o motorista começar uma rota em direção a um Supercharger, essa função vai iniciar um “aquecimento inteligente” da bateria, deixando-a na temperatura ideal para iniciar a recarga de forma otimizada. Outra grande novidade do V3, é que ele não sofre mais do problema de “corte de energia”. Agora, mesmo que todas as estações estejam em uso, cada uma delas vai funcionar sempre em sua capacidade máxima. Além disso, as estações V3 possuem um novo sistema de refrigeração a líquido e um cabo mais leve e flexível que os carregadores V2.

No anúncio da Tesla, a companhia aproveitou para informar que o Supercharger V2 receberá uma melhoria dentro de algumas semanas: o pico de potência de carga vai saltar dos 120 kW para os 145 kW.

Inicialmente, o Supercharger V3 está disponível apenas em Fremont, Califórnia, e só é compatível com o Model 3, em caráter experimental. Por enquanto, somente os clientes que fazem parte do “programa de testes” da empresa poderão ter acesso.

O Supercharger V3 será disponibilizado para outros clientes do Model 3 a partir do segundo e terceiro trimestre, nos EUA, e a partir do quarto trimestre, na Ásia e Europa.

Fonte: tecmundo