Notícias

Prepare-se: TI da Índia já discute uso de robôs no BPM e BPO.

O documento lançado pela Associação Nacional de Software e Serviços de Empresas da Índia (NASSCOM) em parceria com o Everest Group intitulado “Seizing the Robotic Process Automation (RPA) Market Opportunity” (Aproveitando a Automação de Processos Roboticos – RPA) aponta que a tecnologia e a automação estão emergindo rapidamente como uma das alavancas fundamentais para criar novos modelos de Business Process Management (BPM) e Business Process Outsourcing (BPO) com valores muito mais baixos. Além disso, a prestação de serviços seria mais rápida e com facilidades de gerenciamento e métricas. A indústria de BPM indiana sempre foi exemplo de vanguarda, conquistando nos últimos 15 anos o domínio mundial na prestação de serviços de vários setores. O uso da TI nesse setor sempre trouxe benefícios e transformou a Índia em um fornecedor best-in-class. Mas os avanços dessa fase parecem ter se esgotado. A robotização do BPM surge agora para dar novo fôlego para esses fornecedores especializados. O documento aponta que, apesar de a RPA ser uma tecnologia nova, vem crescendo rapidamente no mercado de BPM. Segundo a Nasscom, de 6% a 8% do mercado seriam afetados já em 2017. Hoje esse índice gira em torno de 1%. De 30% a 40% de todos os postos de trabalho seriam robotizados em 2025. “Em um ambiente de negócios cada vez mais dinâmico e muitas vezes volátil, as organizações procuram cada vez mais formas de criar maior valor, minimizando o risco. Este estudo mostra claramente que RPA está rapidamente se movendo de uma fase pioneira de uma fase de crescimento rápido de adoção”, expõe o diretor do Everest, Rajesh Ranjan, no relatório divulgado.

Crescimento exponencial.

Indústrias reguladas, com alto volume e processos de negócios transacionais oferecem o maior potencial para a RPA. São elas que estão impulsionando essa transformação com 100% a mais de uso da robotização a cada ano. Se a base de onde se transformam ainda é baixa e permite essas taxas, espera-se que ao longo dos dois próximos anos elas virem modelos para outras indústrias. A RPA já começa a alcançar prestadores de serviços de BPM para processamento de transações e de entrada de dados em alto volume. Com a expansão das estratégias de foco no cliente, isso também deve aumentar nos próximos anos.
Fonte: voit