Notícias

Sem caixas e sem filas: Amazon Go, o supermercado do futuro.

A Amazon anunciou um conceito de supermercado que remonta a uma ideia de um vídeo publicado em 2006 pela IBM. Um cenário em que o comprador simplesmente se dirige as prateleiras, pega os produtos que acha conveniente e simplesmente sai, sem enfrentar nenhuma fila ou passar por qualquer caixa. Essa é a proposta do Amazon Go, serviço que começará a funcionar nos EUA em 2017 e que através da integração com o app promete diminuir e otimizar o tempo gasto no supermercado. O vídeo de apresentação deixa bem claro a proposta do serviço: entre no supermercado Amazon Go, realize a autenticação via QR Code com o seu smartphone, integrado ao aplicativo Amazon Go, escolha os produtos que pretende levar, vá embora. Sem filas, sem caixas e sem atendentes. Tudo que você escolheu já está devidamente organizado no seu carrinho virtual e a cobrança será feita através do seu cartão de crédito ou débito cadastrado no aplicativo. Para conseguir realizar essa proeza a Amazon utiliza uma tecnologia chamada por eles de Just Walk Out, que envolve câmeras, sensores de proximidade e deep learning. "Nossa tecnologia detecta automaticamente quais produtos são retirados ou devolvidos para a prateleira, e mantém o controle no carrinho virtual". Essa questão da detecção e remoção de produtos também é mostrada no vídeo, quando a pessoa pega um produto e depois devolve para a prateleira, o aplicativo automaticamente reconhece essa ação e retira o produto da lista que será cobrada ao final. É claro que além da questão positiva, que envolve mais uma vez a tecnologia criando modos de facilitar a vida das pessoas, há o outro lado que sempre é discutido quando um anúncio desse porte é feito: a quantidade de empregos que serão cortados. Britt Bemar, presidente do America's Research Group, diz que o Amazon Go tem potencial para acabar com 75% dos postos de trabalhos típicos de lojas e mercearias. O Amazon Go irá eliminar o aspecto mais ineficiente as lojas, que são os caixas, tornando o processo muito mais rápido para os clientes, diz Neil Saunders, diretor da Conluio, empresa de pesquisas do varejo. Saunders também diz que será necessário um processo de reaprendizado por parte do consumidor em relação às compras, já que muitos podem considerar essa praticidade de pegar o produto e sair, como um roubo. Por enquanto há apenas um mercado Amazon Go, em Seattle, que está sendo utilizado para testes entre os funcionários. A previsão é que será aberto ao público em 2017. A companhia diz que dentre os primeiros produtos que serão vendidos estão itens básicos, como pão, leite, queijo, além de guloseimas, como chocolate. No mercado também serão vendidos lanches e refeições, preparadas pelos Chefs do estabelecimento.

Fonte: r7

Usamos cookies para melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Cookies.